COMO FUNCIONA UM PROCESSO TRABALHISTA

      Comments Off on COMO FUNCIONA UM PROCESSO TRABALHISTA

Para abrir um processo trabalhista é indicado que o trabalhador procure um advogado que seja especializado em justiça do trabalho, de quem recebera as orientações corretas de como agir no decorrer do processo.

processo trabalhista

Quais documentos eu preciso para abrir um processo?

Para entrar com uma ação trabalhista é necessários estar munido de:

1- Documentos pessoais: Como RG, CNH, CPF e carteira de trabalho;

2- Documentos de trabalho: Aqui entram os documentos físicos que podem servir de provas no decorrer do processo, tais como: aviso prévio, termo de rescisão, holerites, recibos, e-mails, ficha ponto, contrato, extratos bancários, entre outros;

3- Provas: Podem ainda ser acrescidos ao processo, documentos que provem as ações denunciadas, como e-mails, gravações de vídeo e áudio, fotos, conversas em redes sociais.

Quanto tempo demora para sair o resultado do processo?

O processo é encaminhado para a vara de trabalho mais próxima do trabalhador, ou seja, será julgada por juízes diferentes, o que pode demorar para que a sentença seja deferida.
No Brasil, os processos costumam demorar, pois os juízes possuem centenas de processos acumulados, com isso, um processo trabalhista pode levar até mesmo 10 anos para ser resolvido.

Em que momento é possível fazer um acordo?

O acordo pode ser feito em qualquer uma das etapas do processo, se for um desejo de ambas as partes, isso pode ser efetivado já na primeira audiência, no meio do processo ou ao final. Já caso não aja acordo em nenhuma das fases, é dada a sentença ao final do processo.
Vale lembrar que, o acordo só pode ser efetivado se ambas as partes, ou seja, empregado e empregador, concordarem.

Até quanto tempo depois de sair do trabalho posso abrir um processo?

O processo pode ser efetivado no prazo de 5 anos após o empregado sair da empresa, passado esse prazo, nenhuma ação trabalhista poderá ser aberta. Aqui não importa se o empregado foi demitido por justa causa ou sem causa, para qualquer uma das modalidades de desligamento, é estipulado um prazo máximo de 5 anos.